As constelações estão à serviço da Vida. Juntando o que estava separado, nos mostrando o que é importante e nos acionando para olhar aquilo que; as vezes inconscientemente; estava excluído, trazendo à luz.

Ao constelar não é necessário que o cliente fale sobre o seu assunto; o campo morfológico vai revelar tudo que a pessoa necessita olhar. Muitas vezes quando uma pessoa se inscreve para constelar já pergunta se deve explicar alguma coisa, dizer o que se passa…então respondo que não é necessário falar sobre o assunto que o incomoda. Talvez a raiz da questão esteja num outro lugar, quem sabe ainda desconhecido, e o campo vai revelar para a pessoa de onde vem o motivo desta situação. Portanto se uma pessoa disser ao constelador que tem algo para resolver, por exemplo, em seu campo profissional, e o constelador se deixar levar por esta informação mental, talvez não seja revelado tudo que seria necessário….

As constelações acontecem movidas por um campo morfológico, e quem tiver curiosidade em saber mais sobre este fascinante assunto poderá procurar na internet, há muita informação e é fácil de encontrar, por exemplo, o cientista Rupert Sheldrake.

O constelador deve ter preparo para permitir que o campo mostre em seus movimentos o que precisa ser olhado. Se assim for, possibilita que o campo do cliente acesse à todas as informações, não mais da forma mental, e sim de forma energética, onde tudo está e pode ser revelado.Ao profissional de constelações cabe suportar este campo, sem medo e sem nenhuma intenção.

Quando os movimentos mostram que ali pertence e deve entrar mais alguém, uma pessoa ou algo que faz parte da história do cliente, então o constelador pode perguntar aos participantes se alguém se sente “movido” a fazer parte. Geralmente algumas pessoas já estão conectadas e se associam com facilidade, assumindo exatamente a postura e sentimentos daquele personagem mesmo sem conhecer aquela pessoa e sem saber nada da vida do cliente. Costumo dizer que estas associações são muito benéficas pois trazem para esta pessoa que se associa algumas respostas para si mesma!

Uma vez revelado na constelação o que o cliente precisa ver isso fica harmonizado pela sua compreensão. O constelador precisa ter a coragem de fazer o mínimo. Sophie Hellinger nos disse uma vez num treinamento: “O que o cliente viu com a “sensação”, não esquece mais. É como se fosse um pequeno raio, um lampejo, que vem mostrar algo e depois que é visto não se pode mais dizer que não sabe”. Esta nova percepção abre um caminho que antes não era imaginado e não era possível acessar; e vem com informações novas e limpas de memórias traumáticas.   E então ele segue em frente!

Bert Hellinger nos mostra que a constelação vai sempre para o futuro.

Ás vezes traz uma situação do passado para ser resolvida, ou que deve ser olhada, porém é o futuro que nos espera! A constelação não muda a vida do cliente; é o cliente que muda a sua própria vida, agindo de uma forma diferente. Como nos mostra a física quântica: somos observadores da nossa própria vida; tudo que existe, só existe porque é observado por nós. Quando aceitamos aquilo que passou, compreendendo no nosso coração o que não pode ser mudado e aceitando a vida como ela é, mudamos nossas antigas atitudes e transformamos a própria vida.

Constelações Familiares servem para nos mostrar algo oculto e com isso vem uma nova compreensão. Este é o benefício para quem constela, assim como para quem assiste, participa ou se associa naquele campo, que percebe em si mesmo os benefícios de compreender com mais clareza seus assuntos pessoais.

Acredito que todas as formas de constelações são benéficas se voltadas para a Vida. Há uma responsabilidade em ser constelador e por alguns anos tenho acompanhado Bert e Sophie, com eles estudando no Brasil e na Alemanha, sempre na escola Hellinger Sciencia. Aprendi com os Hellinger o que se pode chamar de formato “hellingeriano” de constelações familiares e sou muito grata pelo contínuo aprendizado.

 

Share This